Edição 147


Comentários

Eu voltei uma viagem de brasilia a senges vazio por conta disso, não consegui liberar o seguro tinha dpcta atrasada


ildefonso
tininhozopelar6@yahoo.com.br






Excelente vitória do Sindicato em favor da classe de caminhoneiros do brasil, isto vem somar para a melhoria das atividades na área, parabens.


Clovis fava Filho Pres. sindicam CEARA.
clovisfava@yahoo.com.br






Muito bom.... isso abre as portas para muitas pessoas, que querem trabalhar e por conta das restrições, infelizmente não podem. Parabéns


Claire Dotti
clairedotti@hotmail.com






PERDI EMPREGO BOM DEVIDO À PROCESSO EM 95 , MESMO COMPROVANDO SER INOCENTE.


MARCO ANTONIO
MARQUINHOSBRANCOZL@HOTMAIL.COM






Parabens A todos Que contribuiran para este grande avanço em nao prejudicar quem trabalha . caminhoneiros e motorista nao podem ser impedidos de trabalhar para cumprir com suas obrigaçoes Quem Deve ser responsabilizados sao os politicos fazendo leis que melhore as segurança pois pagamos para ter e nao temos


Domingos De Castro
domingos@transfenix.com.br






Queria saber se essa "doutora" poderia explicar quem vai pagar a conta das Seguradoras, por conta de diversos sinistros que evitamos de Apropriação Indebita e/ou Desvio de carga, que é justamente o que essa ferramenta tem a missão de prevenir?Profissional correto não passa por qualquer tipo de restrição.


França
mau_fr@ig.com.br






parabéns a procuradora,tem que ferrar sim essas seguradoras de cargas,como que querem que pagamos as n ossas contas se eles ficam nos bloqueando e impedindo de trabalhar.essa punição tem que se estender pra GV também que faz o mesmo.


marcus
mva.1977@hotmail.com






Excelente....Até que enfim uma providência a favor dos caminhoneiros - isso realmente não pode acontecer - impedir o caminhoneiro de ganhar o seu sustento , se ele tem divídas só conseguirá paga-las estando trabalhando, com que autoridade essas empresas divulgam dados que atrapalham a vida dos profissionais. Essa providência tem que se estender a todo o território nacional, parabéns Dra.Ana Cláudia Gomes, sua atitude nos dá muito orgulho que todo o Ministério Público do Brasil siga seu exemplo.O setor de logistica já está passando um aperto por haver falta de caminhões para transportar nossa produção, agora imagina se começarmos a impedir os nossos profissionais que estão na ativa de trabalharem.O governo tem que impedir que empresinhas de cobrança fiquem divulgando listinhas sujas por conta propria prejudicando o trabalhador.


Palax - Apoio ao Caminhoneiro
palax@palax.com.br






Parabéns!!!! Essas seguradoras estão tirando a paciência de todos!!! Eu, como Transportadora vejo a dificildade de se relacionar com as seguradoras, imagina os motoristas que nem sempre dispõe de ferramentas como a internet, fax, etc...
Eles exigem demais, muitos caminhoneiros tem dívidas por culpa do baixo valor do frete....e ai?? quem ajuda a melhorar isso??? as seguradoras ??? Certamente não !! Então sou da velha opinião, quem não ajuda, favor não atrapalhar !!
Espero que essa idéia seja levada a diante !!!


Marili Xavier
transtertz@hotmail.com






Acho que tem que haver um equilibrio ai, de um lado nao da para deixar bandido carregando carga, que daqui a pouco nao vai mais existir seguro de carga, de outro lado nao se pode proibir motorista trabalhador que ta ganhando a vida, so por que deixou uma prestacao atrazada. os postos de gasolina e borracharia tao recebendo cheques que ja davam como perdido por conta de motorista que quer limpar o nome, isso eu acho uma coisa boa,


Sandro
workdep@gmail.com






esta doutora esta de parabens .Esta atitude deveria ser tomada tambem contra pamcary,e tambem contra a boni.Nos motoristas nao podemos pagar pela imcopetencia dos nosso politicos.A varios politicos com o nome sujo e estao trabalhando porque que nos nao podemos


paulo henrique quadros oliveira
phquadros.oliveira.@bol.com.br






Isso realmente é uma vergonha, um pai de familha as vezes deixa de trabalhar por cause de fatos como estes que é um absurdo. A vida pessoal de cada caminhoneiro é somente de sua responsabilidade.


José Ivan A. Queiroz
queirozivan@hotmail.com


Carga Pesada responde



Tenho duas carretas, e meu motorista tomou multa, e com isso estorou a pontuação da minha habilitação, e como eu viajo longe e fico varios dias fora de casa, não deu tempo de recorer ou passar a pontuação pro motorista.
então contratei um advogado pra que pudesse entrar com recurso, e com isso fui barrado pela gerenciadora de risco GV, e com isso fiquei com poucas possibilidade de trabalho.
emagina então se eu tivesse devendo, ai então que não conguia trabalhar na praça .
Acho que todos tem direito de ir e vir, e não sou bandido pra ser barrado . sou cidadão Honesto e proficional e capaz de transportar qualquer tipo de carga, e vem a gv me desqualificando. QUE REVOLTA !!!


Joarez m. Dias
djjoarez@yahoo.com.br


Carga Pesada responde



Gostaria muito que aprovasse essa lei,pois estou com um débito no banco,mas não consigo pagar por falta de um emprego melhor no meio transporte,sou motorista de carreta e preciso trabalhar;enclusive estou esperando uma resposta de uma empresa que esta consultando minha gv,mas tomara que de certo.Sou apaixonado pela minha profissão.


flavio augusto cavalheiro leme
flaviocavalheiro16@hotmail.com


Carga Pesada responde



alguem que, comete um delito crime no passado,e por ele pagou com pena imposta pela justiça,fica condenado perpetuamente pelas gerenciadoras de rico, isto e inadimissivel tirar o direito de quem quer trabalhar.


Rogerio
Rogerinho81@hotmail.com


Carga Pesada responde



Tenho um amigo que mandou um curriculo para uma trasnportadora e não foi contratado devido a um processo judiciario ao qual ja foi condenado e pago.
E ai?
Como fica um Pai de familia que precisa trabalhar e sustentar sua familia e não conseguir emprego em outras transportadoras devido as seguradoras puxarem e constar pendencias judiciarias não dando oportunidade para uma pessoa q nessecita trabalhar.E ai oq devo fazer?


Ana Paula
Pau_linha88@hotmail.com


Carga Pesada responde



acho um absurdo como eu por exemplo que devo um banco ser empedido exercer minha funçao porque gv apsul estao bloqueando nos profissionais de trabalhar nunca fui preso e nem nunca fui vitima de roubo ou acidentes nao tem me faltado opurtunidade de emprego mas se nao paassa cadastro na segurado as empresas nem da satisfaçoes se foi apto ou nao


edmilson pereira da silva
edcarreteiro@hotmail.com


Carga Pesada responde



É muito ch ato os motorista quer trabalhar e nao podem tem muito profisionais bom por ai. Um abraço


Marcio
Marciojose3103_@hotmail.com


Carga Pesada responde


Acordo na Justiça pode pôr fim à lista suja
 
Gerenciadora de risco de Minas Gerais aceitou parar de investigar e divulgar informações da vida privada dos motoristas para se livrar de acusação de discriminação do Ministério Público
Guto Rocha
 
Um acordo entre o Ministério Público do Trabalho de Minas Gerais e a empresa Gertran – Gerenciamento de Riscos, de Belo Horizonte (MG), pode abrir caminho para acabar com um problema que tem dificultado e até impedido o trabalho de caminhoneiros em todo o País: a divulgação de dados sigilosos que constam nas chamadas listas sujas. Pelo acordo, a empresa se comprometeu, sob pena de multa, a não investigar e divulgar dados da vida privada e íntima dos motoristas, impedindo-os de trabalhar.
Em 2007, o Sindicam-SP entrou com uma denúncia no Ministério Público do Trabalho de São Paulo contra empresas gerenciadoras de risco que bloqueiam o nome dos motoristas que apresentam alguma pendência com Serasa, SPC, Cartórios de Protestos, Fisco, Polícia e Poder Judiciário.

O caso chegou a Minas porque uma das empresas, a Gertran, era mineira. A Procuradoria Regional do Trabalho de Belo Horizonte ingressou com uma ação civil pública contra ela.
Para a procuradora do Trabalho da 3ª Região, Ana Cláudia Nascimento Gomes, o que a empresa fazia era discriminação. “Foi fácil encontrar a prova da ilegalidade porque a empresa reconhecia em seu próprio site que tinha (a lista suja) como um serviço para o público”, conta a procuradora.

Ana Cláudia explica que, segundo a CLT (lei trabalhista) e a Constituição, qualquer pessoa é livre para trabalhar se tiver a qualificação exigida por lei para aquela atividade. “Mais do que isso configura uma exigência desproporcional e pode ser entendido como discriminação”, diz.

Segundo a procuradora, a Gertran tinha um cadastro com 30 mil motoristas, e cerca de 30% deles estavam negativados por conta de débitos. “Mas só um caso apresentava antecedentes criminais”, observa. Por isso, destaca a promotora, o acordo prevê que a pesquisa criminal continue. “Apesar de que a pessoa que esteja condenada ou sentenciada não pode perder seus direitos de trabalhador”, comenta.

A pena para o descumprimento do acordo é uma multa de R$ 50 mil para cada dado que a Gertran divulgar.

Para o presidente do Sindicam-SP, Norival de Almeida Silva, o acordo obtido em Minas Gerais foi uma vitória. “Não é papel das gerenciadoras de risco fazer o trabalho de cobrança de cheques sem fundo ou de IPTU atrasado.”

Segundo Silva, o Sindicam-SP tem um processo na Justiça contra 52 gerenciadoras de risco. Em sua avaliação, o acordo de Minas pode abrir espaço para novas conquistas do gênero.

Waldir passou apertado

Para gerenciador, só há cadastro “positivo”

Voltar
Escreva seus Comentários
Nome:

Email (opcional):

Digite seu comentário: