Consorcio-Fenatran2024

Em Ijuí, Cootac foca em compras coletivas

Pinterest LinkedIn Tumblr +
Consorcio-Fenatran2024

Cooperativa foi formalizada em 2014 e é fruto de uma associação de ajuda mútua fundada 8 anos antes

Para Carlos Alberto Litti Dahmer, presidente da Cooperativa dos Transportadores Autônomos de Carga (Cootac), de Ijuí (RS), não há outra solução para a categoria que não seja o cooperativismo. A Cootac foi formalizada em 2014 e é fruto de uma associação de ajuda mútua fundada 8 anos antes.

Pelo sistema de ajuda mútua, o caminhoneiro é ressarcido em caso de sinistro com o veículo. Em vez de pagar uma seguradora, o profissional se filia à cooperativa, protege sua ferramenta de trabalho contra acidente, incêndio e roubo, e ainda aproveita os demais benefícios da organização.

O principal desses benefícios é a aquisição de insumos com preços bem mais baratos. A Cootac faz compras coletivas de produtos como lâmpadas, disco de tacógrafo, filtros, lonas de freio, lubrificantes, vinilonas e pneus.
O cooperado ainda pode comprar diesel mais barato na Estação de Abastecimento Lambari de Ijuí, na BR 285, onde também fica a sede da cooperativa. “Mantemos ainda convênios com recapadoras, fornecedores de baterias e peças”, conta o presidente.

Litti garante que os cooperados consegue comprar combustível a 30 centavos mais barato o litro, pneu com desconto de no mínimo R$ 200 e óleo lubrificante pela metade do preço. O pagamento é feito em até quatro parcelas sem juros.

Há cerca de três anos, os motoristas também podem prestar serviços de transporte em nome da Cootac. Ao contrário da iniciativa de Sete Lagoas, esse não era o foco inicial da cooperativa gaúcho.
Em Ijuí, há 545 cooperados, tanto pessoas físicas como pessoas jurídicas com até 10 caminhões. “A maioria são autônomos”, afirma Litti.

A principal receita da Cootac são as contribuições mensais de ajuda mútua feita pelos caminhoneiros. “O valor é correspondente a 4% do preço do caminhão na tabela Fipe. Se o caminhão vale R$ 100 mil, são R$ 4 mil parcelados em 12 vezes de R$ 333 sem juros”, explica o presidente.

Esse dinheiro é usado na cobertura de sinistros que ocorrem com os veículos dos cooperados e também é investido na compra dos insumos que são repassados a eles com preços mais baixos. Ao final do ano, como toda cooperativa, é feito o rateio das sobras.

Litti, o presidente da Cootac (foto: Marcelo Camargo – Agência Brasil)

Para ingressar na Cootac, o valor atual da quota-parte é de R$ 2 mil, que também pode ser pago em 12 vezes. “Há muito tempo que percebi que o cooperativismo é o caminho para nós”, declara Litti.
Ele ressalta, no entanto, que para colher os frutos de uma cooperativa não se pode pensar de forma imediatista. Pois leva tempo para a organização se consolidar e render frutos.

 

LEIA TAMBÉM

Mineiros buscam cooperativismo para sobreviver

Eliane e Vander: felicidade a bordo de um caminhão elétrico

Covid interrompe história de amor de caminhoneiros

 

Truckscontrol
Compartilhar

Deixe um comentário