Consorcio-Fenatran2024

Pedágio no Paraná: Grupo arremata lote de rodovias com 18,25% de desconto na tarifa

Pinterest LinkedIn Tumblr +
Consorcio-Fenatran2024

Valor do pedágio, segundo Ministério dos Transportes, será metade do que era cobrado na antiga concessão

Bruno Bocchini
Agência Brasil

Pedágio no Paraná – A empresa Infraestrutura Brasil Holding 21, controlada pelo Grupo Pátria, venceu no início da tarde desta sexta-feira (25) o leilão do primeiro lote do sistema rodoviário do estado do Paraná, que faz conexão entre o porto de Paranaguá, a Região Metropolitana de Curitiba e a Ponte da Amizade, na fronteira com o Paraguai.

A sede da B3, em São Paulo, ficou lotada durante o evento, conforme se vê na foto em destaque, de Jonathan Campos, da Agência Estadual de Notícias (AEN), do Paraná.

Pela modelagem do leilão, o critério para escolha da empresa vencedora foi o desconto no valor básico do pedágio. Apresentaram propostas duas companhias: a Infraestrutura Brasil Holding 21, que ofereceu 18,25% de desconto; e a Consócio Infraestrutura PR, que apresentou 8,30%.

As vias leiloadas estão sem concessionárias responsáveis há cerca de um ano e meio. Segundo o Ministério dos Transportes, a nova modelagem do leilão resultou em um desconto de mais de 50% no valor do pedágio comparado ao que era cobrado antes na região. Isso porque a tarifa inicial já era 30% inferior à praticada anteriormente.

Trabalhador desmonta praça de pedágio no Paraná, na cidade de Jataizinho, dia 27 de novembro de 2021, último dia da concessão anterior – Foto Gilson Abreu/AEN


Já o governo do Estado, por meio da Agência Estadual de Notícias (AEN) disse que o grupo Pátria arrematou o pacote de pedágio no Paraná com desconto de 18,25% na tarifa por quilômetro rodado do leilão, de R$ 0,10673, chegando a R$ 0,08725 na pista simples. E isso representa um valor 65% menor do que a tarifa por quilômetro rodado que seria cobrada se o Anel de Integração ainda existisse (R$ 0,2543) ou 54% menor do que a última tarifa por quilômetro rodado cobrada (R$ 0,1919).

Melhorias

Os investimentos previstos para o trecho, a ser feito pela vencedora do leilão, deverão ser de R$ 7,9 bilhões, sendo que 47% desse valor serão destinados à expansão e melhoria da capacidade das rodovias. Já os custos operacionais devem ser de R$ 5,2 bilhões para o investimento em serviços gerais e administrativos, como serviço médico e mecânico e pontos de parada de descanso para caminhoneiros. No total, são esperados R$ 13,1 bilhões de investimentos totais no lote de pedágio no Paraná.

O contrato de concessão de pedágio no Paraná terá validade de 30 anos. O primeiro lote abrange uma extensão total de 473 km, compreendendo as rodovias federais e estaduais: as BR-277/373/376/476 e as PR-418/423/427. Segundo a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), os principais benefícios que deverão ser feitos pela vencedora do leilão incluem 344 km de obras de duplicação, 81 km de faixas adicionais, 38 km de terceira faixa e 41 km em vias marginais.

A vencedora do leilão deverá ainda instalar 11 passarelas, 60 paradas de ônibus, 79 Obras de Arte e Especiais; 9 Bases de Serviços Operacionais e de Atendimento ao Usuário (BSO/SAU), que contarão com ambulâncias e sistema de serviço de atendimento mecânico, com 6 guinchos leves, 4 guinchos pesados, além de 2 caminhões pipa e 2 caminhões gaiola.

LEIA TAMBÉM

Caminhoneiros reclamam de buracos nas rodovias após fim da concessão anterior

Pedágio no Paraná

Truckscontrol
Compartilhar

Deixe um comentário