Consorcio-Fenatran2024

Por que alguns bitrucks geram excesso de peso nos eixos traseiros?

Pinterest LinkedIn Tumblr +
Consorcio-Fenatran2024

Veja explicação do engenheiro especializado em transporte Rubem Penteado de Melo

Alguns caminhões do tipo 8×2 ou 8×4 (chamados de “bitrucks”), modificados a partir do 6×2 (ou 6×4) pela inclusão do 2º eixo direcional dianteiro, tem apresentado excesso de peso nos eixos traseiros.

Mesmo com o Peso Bruto correto de 29.000 kg e a carga distribuída corretamente, os eixos traseiros acabam passando com 19.000 kg a 20.000 kg, quando o correto seria 17.000 kg. Já os eixos dianteiros, que deveriam somar 12.000 kg, acabam ficando entre 9.000 k e 10.000 kg.

Qual a causa?

Simples: economia burra!

Instala-se o 2º eixo direcional (que já é relativamente caro), mas por economia mantem-se os eixos traseiros na mesma posição original do 6×2.

Para distribuição correta, os eixos traseiros devem obrigatoriamente ser reposicionados para trás, para transferir mais peso para a parte dianteira, já que temos mais um eixo na frente.

“-Ah! Mas, custa puxar a suspensão traseira para trás: mudança dos suportes, troca do cardã, etc”. E surge a grande ideia: “vou economizar nisso!”

A posição correta precisa ser calculada pelo instalador do 2º eixo direcional: dependerá do veículo e do entre-eixo original do 6×2 ou 6×4.

Ensinamos isso no curso abaixo:

https://trs.herospark.co/dimensionamento-de-implementos-rodoviarios-calculos-basicos

Diferença na posição da suspensão traseira do 6×2 para o 8×2.

Fiquem atentos: transportadores e embarcadores!

Mais informações: [email protected].

www.trs.eng.br

Truckscontrol
Compartilhar

Deixe um comentário