Consorcio-Fenatran2024

Rota Feminina faz seu segundo Fórum

Pinterest LinkedIn Tumblr +
Consorcio-Fenatran2024

Movimento visa fortalecer a presença da mulher no transporte e logística

Paciência e persistência. Na hora de dirigir um veículo grande, é preciso ter cuidado redobrado com as manobras. A dica é da master driver da Scania, Aline Portugal, que participou nesta quarta-feira (10) do 2º Fórum de Mulheres no Transporte e Logística, realizado pelo Movimento Rota Feminina, no Sest/Senat de Campinas.

“É primordial, principalmente por serem veículos de grande porte, a paciência. Persistência, porque o ruim do veículo grande é a manobra. Então é gravar os pontos, fazer tudo com calma. Paciência e fazer tudo no tempo certo”, disse ela, durante o evento.

Aline Portugal, no centro da foto

O Fórum reuniu pela segunda vez líderes empresariais, acadêmicos, empreendedores inovadores, e profissionais do ecossistema da logística e transporte para discutir as tendências mais recentes do setor, além das melhores práticas para aproveitar o potencial das pessoas.

A repórter da Revista Carga Pesada Leiliani de Castro participou da cobertura do evento e, entre outras pessoas, entrevistou a estudante de Logística Elis Oliveira. Ela fez um trabalho acadêmico sobre as histórias por trás do caminhão Actros Estrela Delas, produzido pela Mercedes-Benz para o público feminino. Clique aqui e veja entrevista em vídeo.

A estudante de Logística Elis Oliveira

A gerente de Recursos Humanos da Mercedes-Benz, Caren Bertoa, participou da mesa-redonda “Humanizar é garantir a sustentabilidade dos negócios”. “Humanização dá para fazer sempre, é só querer. A pandemia nos trouxe isso, com tantas vulnerabilidades vindo à tona. Antes disso, começamos um trabalho de diversidade. Montamos um grupo que trabalhou com quatro pilares: gênero, pessoas com deficiência, lgbtqia+ e racial”, contou.

Mas não foram só as mulheres que participaram do Fórum. O supervisor de Frota da Coopercarga, Adriano Aristo, esteve por lá e falou sobre o que diferencia a mulher do homem caminhoneiro. “A tratativa com o cliente, a forma como elas têm zelo com o veículo, o cuidado é redobrado. Em dois anos de atividade, não há registros de sinistro (com mulheres) na Coopercarga”.

A cobertura completa do evento você verá logo mais aqui no nosso site.

Truckscontrol
Compartilhar

Deixe um comentário