VWCO Agrishow

Scania apresenta 6×4 a gás

Pinterest LinkedIn Tumblr +
Consorcio-Fenatran2024

G 460 tem capacidade para 30 pallets e pode tracionar rodotrem de 9 eixos; autonomia chega a 650 km

Desenvolvido para atender a segmentos como o agronegócio, a Scania acaba de ampliar sua linha de caminhões movidos a gás com o lançamento de duas novas potências (420cv e 460cv) e a chegada da opção na tração 6×4.

O 460cv aumenta a autonomia da gama, chegando a até 650km. A primeira exposição pública do 460cv a gás será na 29ª Agrishow, no período de 29 de abril a 3 de maio, em Ribeirão Preto (SP). As vendas já estão abertas e as entregas a partir do segundo semestre. O primeiro negócio, de 20 unidades do 460 6×2, já foi realizada para a Logás S/A, de Minas Gerais, uma distribuidora de gás que atende mais de 40 industrias onde não há gasoduto.

Ao adicionar essas duas novas potências, a Scania vai atender mais demandas dentro e fora de estrada, criar nichos ainda não explorados por caminhões a gás no Brasil e ampliar o leque de negócios. Os modelos poderão ser configurados nas trações 4×2, 6×2 e na estreante 6×4. Na 4×2 seguem as aplicações mais tradicionais do transporte. Já na 6×2 há possibilidade de transferir cargas com capacidade para 30 pallets e levar carretas quatro eixos.   

“Vale o grande destaque para o Scania GH 460 6×4, que representa a entrada definitivamente da marca na atuação no Agro com produtos a gás. Trata-se de um marco para a Scania e para o mercado”, afirma André Gentil, gerente de Vendas de Soluções a frotistas da Scania Operações Comerciais Brasil.

Em 2018, a Scania lançou a pioneira linha de caminhões movidos a gás natural (comprimido), liquefeito (gnl) e/ou biometano (100% sustentável), com início de vendas em 2019. “De lá pra cá, estamos liderando a transição para um sistema de transporte mais sustentável. A Scania ajudou a criar e desbravar um mercado que não existia e fez parcerias com produtores, distribuidores e companhias públicas de gás. Hoje, temos os corredores azuis, a cobertura de gás por praticamente todo o litoral brasileiro e a rede de postos está expadindo para os interiores e Centro-Oeste.”

O gerente também destaca o fundamental apoio aos clientes da rede Scania para as operações a gás. “Temos uma rede de concessionárias já com muita experiência em veículos a gás, pois os pioneiros veículos Scania começaram a circular em 2020. Conhecemos muito bem as exigências que o caminhão recebe no dia a dia e entendemos o que os clientes precisam”, completa Gentil.

460 cavalos e 2.300Nm de torque

Uma novidade que chama bastante atenção no 460 são dois novos cílindros de gás, mas desta vez atrás da cabine. “É o que estamos chamando popularmente de “conceito mochilão”. Além dos oito cilindros laterais tradicionais, estamos ampliando a autonomia justamente com mais dois. Ele poderá percorrer até 650km, rodando com maior autossuficiência pelas rotas já viabilizadas dos corredores azuis, até postos localizados estrategicamente para o reabastecimento. O avanço será substancial para mais uma etapa do desenvolvimento da matriz energética a gás no país”, diz Marcelo Gallao, diretor de Desenvolvimento de Negócios da Scania Operações Comerciais Brasil.

“Essa autonomia vai nos permitir iniciar a atuação no Agro. Na versão 6×2, nas carretas de quatro eixos e bitrem de sete eixos, no transporte de cana, soja, milho e outros. Na versão 6×4, com mais potência e torque (2.300Nm) poderá tracionar composições de nove eixos para rodotrens, aliado ao aumento da autonomia. As soluções a gás e biometano têm enorme potencial na cadeia sucroalcooleira e do agronegócio. Com isso, os clientes vão poder utilizar nossa solução em novos fretes e operações”, salienta Gallao.

O GH 460 cavalos tem cabine alta Highline e pode ser configurado nas versões 4×2, 6×2 e 6×4. O motor de 13 litros desenvolve torque de 2.300Nm (1.000 @ 1.300 rpm). O entre-eixos é reduzido a 3.600mm, que permite o acoplamento a semirreboques de até 15,40m costumeiramente chamados de “carretas 30-pallets”, além de aumento na capacidade de gás para até 300 metros cúbicos. Ele passa a fazer parte da gama X-gás. 

Caixa de câmbio: Trocas mais rápidas

Os novos modelos a gás, de 420 e 460 cavalos, e os já disponíveis 280 e 340cv, serão equipados com a caixa de câmbio Opticruise G25CM, a mesma utilizada no Scania Super, e que garante trocas de marchas mais rápidas, escalonamento otimizado, menor atrito interno pela melhor lubrificação em spray e diminuição no arraste de óleo lubrificante. O modelo G25CM é 75kg mais leve e compacta do que a caixa anterior GRS905, além de garantir melhor dirigibilidade e oferecer uma eficiência melhorada. A redução do peso permite um ganho em carga transportada.

A G25 também propicia maior disponibilidade com seus sensores de nível e temperatura do óleo, para maior controle da operação e previsibilidade em relação aos componentes. Com seu lançamento e do Scania Super, em 2022, a Opticruise, a primeira caixa automatizada lançada no Brasil (2001), já havia sido totalmente redesenhada e ganhou um novo escalonamento de trocas, com marchas mais curtas e mais longas, para manter as rotações do motor em ponto ótimo nas condições de trabalho. A consequência: elevou em 2% sua economia de combustível, num benefício imediato na operação. A inteligência artificial e o mapeamento de terreno permitem ao Opticruise garantir uma experiência ainda mais prazerosa numa direção fácil, confortável e segura, independentemente do peso, rota e topografia. O freio auxiliar hidráulico Scania Retarder pode ser integrado à G25 e oferece 4.700Nm de torque máximo de frenagem e potência máxima de 500kW.

Leia também

Scania agora tem 4 modelos a gás

Truckscontrol
Compartilhar

Deixe um comentário